Agronegócios Comentários

Filha que perdeu pai quer R$ 281 mil de indenização por danos morais contra Prefeitura

Janeiro 25 / 2017

Pai da menor morreu em Valentim Gentil, região de Votuporanga ao colidir a moto com um boi solto na estrada.

A Prefeitura de Valentim Gentil, na região de Votuporanga, virou ré em uma ação por danos morais, estimada em R$ R$ 281.100,00
Versam dos autos que no dia 13 de abril de 2015 o Sr. A, C. C. trafegava na estrada vicinal Marcírio Gomes, km 04 na condução de sua motocicleta , placas de Pontalinda região de Jales, quando teve sua trajetória interceptada por um animal bovino. Com o impacto caiu ao solo, não resistindo aos ferimentos e vindo a óbito no local. A vitima era pai de uma menina, então com 13 anos, anos de idade, e era quem mantinha o sustento da filha, apesar de não ser casado com , sempre foi um pai presente além de mantê-la financeiramente, mantinha os vínculos fraternos A tragédia conforme ‘Relatório de Investigações’da Policia Civil de Valentim Gentil ,teve como causa a colisão da moto que se encontrava a vitima com um animal bovino (garrote nas cores branco e preto, ostentando a marca ‘Q’ na anca, lado direito), que foi identificado como ser de propriedade de V. J.G. Para o advogado Benedito Tonholo, a tragédia deu-se ante a negligência da Prefeitura e do proprietário. "Eles cometeram o ato ilicito e devem indenizar a filha menor da vítima, atualmente com 15 anos , que era dependente financeiramente dele vitima, e que irá crescer durante o restante de toda a sua vida com a ausência de seu pai, que apesar de não ser casado com sua genitora era quem mantinha o sustento da filha e era um pai presente em sua vida", escreveu o advogado na ação.
Entre os pedidos estão a indenização por danos morais em R$ 281 mil pagamento das custas e despesas processuais, bem como honorários advocatícios, na base de 20% sobre o valor total da condenação, conforme art. 85, §2º CPC/2015;4)que os valores da condenação sejam corrigidos monetariamente, mês a mês, desde a data do evento que causou a abrupta morte da vítima(13/04/2015) até a data do devido pagamento, pelos índices legais, bem como seja aplicado juros na razão de 1% (um por cento) ao mês, a partir da citação nos termos do art. 406, do Código Civil e do art. 161, § 1°, do Código Tributário Nacional.A ação será julgada pelo juiz Camilo Resegue Neto, da 4ª Vara Cível de Votuporanga

Os comentários estão desativados para esta matéria.