Educação Comentários

Fundação de Fernandópolis vira ré por suposto uso indevido de imagem

Julho 16 / 2017

Uma modelo e ex-estudante quer R$ 30 mil por danos, em virtude da quebra de contrato.

O juiz Mauricio Ferreira Fontes, do Juizado Especial Cível e Criminal vai julgar uma ação de indenização por suposta violação do direito à imagem contra a Fundação Educacional de Fernandópolis - FEF
De acordo com a ação, uma ex-funcionária da instituição alegou que sofreu uso de imagem indevida. Ela participou de comerciais em propaganda sobre o Vestibular FEF em 2016.Na ocasião, modelo era ainda era funcionária da instituição de ensino, ocupando o cargo de atendente desde 13/02/2014, data da sua contratação, conforme confirmado pelos dados constantes no termo de rescisão Por diversas vezes pleiteou uma bolsa de estudos por se tratar de funcionária da instituição sempre negada.Quando iniciou a campanha de captação de alunos para o vestibular de 2015 a ela foi convidada a posar para fotos que seriam utilizadas em veiculação da propagandas por meio de pôsteres, folders promocionais, placas tipo “outdoor” e vídeo institucional.Relatou também na petição inicial também, que trabalhou como “promoter” ” nos eventos de divulgação que a instituição realizava, Geralmente, segundo o advogado Tiago Malerba, que subscreveu a ação, com a jornada que se iniciava às 7h00 finalizava por volta das 22h00. No entanto, em 08/03/2017 a modelo foi comunicada pelo empregador, do seu desligamento dos quadros de funcionários da Instituição de ensino e que sua bolsa vigoraria apenas até o final do atual semestre letivo, situação que frustrou seu tão sonhado diploma do ensino superior. Para fazer imputar as razões dela, a ex-estudante da FEF pediu mais de R$ 30 mil de indenização por danos morais
valores aproximados aos das mensalidades restantes para a conclusão dos estudos

Os comentários estão desativados para esta matéria.