Administração Comentários

Gaeco e Promotoria denunciam ex-servidores e empresários por fraudar licitações em Campinas

Agosto 10 / 2017

Câmara repassou ao grupo cerca de R$ 12 milhões

Por meio do núcleo de Campinas do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) e da Promotoria Criminal de Campinas, o MPSP ofereceu, nesta quarta-feira (9/8), denúncia contra dois ex-servidores da Câmara Municipal de Campinas e mais dez empresários por crimes de associação criminosa e fraude à licitação, praticados entre os anos de 2006 e 2011.

De acordo com o apurado nas investigações, os ex-servidores Carlos Eduardo Gaspar e Adilson Dutra Barbosa, ainda no exercício de suas funções, eram os responsáveis pela maior parte das licitações realizadas pelo Legislativo. Em sociedade com os empresários Valdir Aparecido Mancini, Andre Luiz Scirre e Renata Aparecida Girardi Floriano, eles abriram a Vila Siena Empreendimentos Imobiliários.

Com o propósito de praticar diversos crimes de fraude à licitações em prejuízo ao erário público, o grupo promoveu a participação de diversas empresas ligadas a Renata, Scirre, Mancini, seus parentes e pessoas de sua confiança. Tais firmas não só participavam das licitações competindo inclusive entre si, como sempre saíam vencedoras.

Segundo a denúncia, de agosto de 2009 até o fim de 2011, foram ao menos 95 licitações fraudadas pelo grupo, fazendo com que a Câmara Municipal repassasse às empresas envolvidas um total de R$ 12 milhões e 450 mil.

Os servidores denunciados foram exonerados em decorrência dos fatos e já são alvo de ações civis públicas por ato de improbidade administrativa.

Os comentários estão desativados para esta matéria.