Esportes Comentários

Receita cobra R$ 13 milhões e Corinthians quer antecipar cota de 2018

Setembro 14 / 2017

Durante a gestão Andrés Sanchez (foto), além de parte da administração de Mário Gobbi, o Corinthians não recolheu impostos

Por meio de seu sistema de acompanhamento dos clubes cadastrados no Profut, programa do governo federal da Lei 13155, o Corinthians foi nos últimos dias advertido pela Receita Federal por uma pendência de R$ 13 milhões sobre impostos não recolhidos.

Em consequência da advertência, a direção do Corinthians recorreu à Federação Paulista para um adiantamento de cotas referentes ao Campeonato Paulista de 2018. O clube se apressa para regularizar a pendência até o fim deste mês, prazo concedido pela Receita para regularização.
No momento, a Certidão Negativa de Débitos, de acordo com pessoas próximas ao presidente Roberto de Andrade, está em dia.

Durante a gestão Andrés Sanchez, além de parte da administração de Mário Gobbi, o Corinthians não recolheu impostos e precisou realizar um acordo para a Receita Federal para evitar maiores problemas.
A situação se transformou em um inquérito, ainda aberto no Supremo Tribunal Federal, contra quatro dirigentes: o próprio Sanchez, o então diretor de finanças Raúl Correia, o vice-presidente André Luiz de Oliveira e ainda o atual mandatário Roberto de Andrade.

Os comentários estão desativados para esta matéria.