Matéria Pública Comentários

MPSP denuncia dois homens por homicídio de advogado em Rio Preto

Outubro 31 / 2017

Um dos denunciados era sócio da vítima e falsificou apólices Conhecido como Thui Seba,(foto) advogado foi morto a tiros em Rio Preto (Foto: Reprodução/Facebook)

O Ministério Público de São Paulo apresentou à Justiça nesta segunda (30/10) denúncia contra Claudio Yuri Baptista e Keyssel Eduardo de Oliveira pelo homicídio do advogado José Arthur Vanzella Seba, que residia em Votuporanga. O promotor de Justiça José Márcio Rossetto Leite, de São José do Rio Preto, sustenta que os assassinos praticaram um crime de homicídio triplamente qualificado pela torpeza e paga de recompensa, pela crueldade e pelo uso de recurso que dificultou a defesa da vítima. 

José Arthur foi assassinado com cinco tiros na região da cabeça e pescoço, ainda no interior do carro e com o cinto de segurança afivelado e pego de surpresa, após ser atraído pelo sócio e amigo a um loteamento ermo na periferia de Rio Preto sob o pretexto de olharem terrenos para compra e investimento. Os disparos foram desferidos a curta distância por Keyssel, vulgo Boiadeiro, suspeito de ser “matador de aluguel “.

A Polícia Civil descobriu que Claudio Yuri, corretor de seguros e sócio da vítima em um escritório, fez ao menos duas apólices de seguro de grande mais de um milhão de reais em nome da vítima, figurando como beneficiário em caso de morte de José Arthur. As assinaturas de José Arthur nas apólices de seguro, após perícia do Instituto de Criminalística de Rio Preto, se revelaram falsas. Claudio pagou ao menos cinquenta mil reais a Keyssel para matar José Arthur.

O Ministério Público ressalta o minucioso e detalhado trabalho de investigação da Delegacia de Investigações Gerais de São José do Rio Preto, sem o qual seria praticamente impossível a elucidação do crime. O promotor espera que, ao final do processo judicial, os réus sejam condenados a mais de 20 anos de reclusão em regime fechado pelo crime que chocou a região de São José do Rio Preto. 

Os réus, que estavam presos temporariamente,  já tiveram a prisão preventiva decretada pelo juízo da 3ª Vara Criminal a pedido da Polícia e do Ministério Público.
Ele era conhecido como Thui e, de acordo com a polícia, foi com um sócio, de 27 anos, ver um terreno para comprar e investir no bairro Buriti, zona norte da cidade.
No local, segundo relatos do sócio à polícia, eles viam uma área quando um homem bem vestido chegou e ofereceu outro terreno a eles.
O advogado teria ido ao carro para atender ao celular, quando o sócio disse à polícia que ouviu uma discussão entre eles. Na ocorrência consta que a vítima gritou: "Corre" e, em seguida, o sócio ouviu os tiros. O autor fugiu em um carro prata, segundo registro policial.
Dentro do veículo em que os dois sócios estavam havia uma mochila com documentos e R$ 7,9 mil, que foram apreendidos. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e o Corpo de Bombeiros foram ao local, tentaram reanimar o advogado, mas ele não resistiu.

Os comentários estão desativados para esta matéria.