Sociedade Comentários

Enquanto uma cidade derrapa com CPI e crise, outra anuncia empresa para gerar 200 empregos

Julho 21 / 2015

Proposta de pauta foi rogada por um internauta para comparar Fernandópolis e Votuporanga

O professor universitário, Luiz Eduardo Corrêa Lima, que também é biólogo tem razão ao definir uma cidade como ecologicamente correta, socialmente justae economicamente viável e interessante. Os padrões atuais de desenvolvimento estão altamente carregados de sustentabilidade, pelo menos na sua essência teórica e partem do pressuposto seja uma premissa para todos os projetos que possam ser mentalizados e produzidos.
Os embates econômicos, contudo, podem ser comparados entre duas cidades encravadas na região de Rio Preto: Fernandópolis e Votuporanga. Enquanto uma anuncia a empresa Romera, com sede no Paraná, para construir uma nova unidade de moveis na cidade, com geração de até 200 empregos, Fernandópolis derrapa-se em uma crise politica sem precedente com uma CPI para investigar superfaturamento de merenda escolar. Desnorteada, a prefeita Ana Bim que já tinha dificuldades de equilibrar finanças e atrair investimentos, ajudou a introduzir o município em baixa estagnação social e econômica. A cidade de Fernandópolis contabiliza inserções negativas como uma faculdade quase insolvente, buracos nas ruas, uma Unidade de Pronto Atendimento que não funciona e uma Santa Casa que não consegue pagar folha de pagamento estimada em R$ 1,8 milhões. Também há falta de creches e investimentos em outras áreas.
Para implementar o desenvolvimento sustentável, o prefeito Junior Marão também discute a entrada de uma empresa voltada para energia renovável que produziria biocombustíveis a partir de resíduos vegetais, principalmente da indústria moveleira, como madeiras, serragens e pó-de-serra, entre produtos.
“O empreendimento é importante, pois além de proporcionar desenvolvimento, tem sua importância na destinação de resíduos”, justificou o prefeito, acrescentando que a região tem o terceiro maior parque moveleiro de todo território nacional.
"Eles poderiam se instalar em outras cidades, já que nossa região é o terceiro polo moveleiro, principal fornecedor da matéria-prima que é, basicamente, pó-de-serra e aparas de madeira; no entanto, diante da nossa exposição, se interessaram muito por Votuporanga e acreditamos que isso vai se concretizar". O Centro de Distribuição da rede de lojas Romera , contará com uma construção de um prédio próprio de 10 a 15 mil m², no 7ª Distrito Industrial.
A previsão é que até o final de 2016 sejam entregues os 7º, 8º e 9º Distritos Industriais, que viabilizarão a instalação de novas indústrias. A pedido de um internauta, as diferenças das cidades em 2015 são estas.

Os comentários estão desativados para esta matéria.