Vida Pública Comentários

Desempregada quer quase R$ 400 mil contra Prefeitura e médica

Fevereiro 23 / 2019

Moradora de Fernandópolis alega erro médico grosseiro contra a administração e profissional

Uma desempregada ingressou com uma ação por danos morais contra a Prefeitura de Fernandópolis e uma médica por erro médico continuado.
A ação de indenização por perdas e danos morais contra a profissional pede R$ 150 mil a ser paga de uma única vez e pela perdas por danos materiais, R$ 294 mil.De acordo com a ação, a mulher foi submetida a tratamento ginecológico na UBS Dr. Gercino Mazzi no bairro Pôr do Sol sob os cuidados médica. Como forma de tratamento, a médica submeteu- a uma cirurgia dehisterectomia total abdominal, que consiste na retirada da totalidade do útero por via abdominal. A médica emitiu laudo de solicitação de autorização de internação hospitalar à Santa Casa de Misericórdia de Fernandópolis, para o procedimento cirúrgico de histerectomia total abdominal, o qual foi realizado em 17/04/2017. Ocorreu que após o procedimento cirúrgico, a autora passou a evoluir com quadro de dor intensa, urinando por meio de sonda vesicular, recebeu alta hospitalar em 20/04/2017, mas necessitou de retornar a UBS devido à dor intensa que apresentava, sendo que horas mais tarde, diante da dor incessante, foi acionado o SAMU para levá-la ao pronto socorro da Santa Casa de Fernandópolis, oportunidade em que foi internada novamente. Após ter sido submetida ao tratamento medicamentoso prescrito, em 22/04/2017 recebeu alta hospitalar. Depois do tratamento, passou a sofrer com um quadro de incontinência urinária com odor fétido (perda involuntária da urina), inclusive com uso de fralda geriátrica, a médica, contudo, atribuiu o fato à infecção urinária, solicitando apenas exame de urina. Após o resultado dos exames, a moradora retornou à USB, mas a partir de então, não conseguiu mais atendimento com médica. tratamento medicamentoso, sem reverter o quadro de incontinência urinária, inclusive, procurou atendimento no UPA 24 horas de Fernandópolis, apresentando quadro de incontinência urinária e dor baixa, no entanto, o médico plantonista, igualmente solicitou exames de urina, e pasme-se houve indicação de buscopam Sem conseguir o resultado, ela . foi encaminhada ao Ambulatório Médico de Especialidades de Votuporanga, após mais de cinco meses a autora ainda apresentava quadro de incontinência urinária após cirurgia de histerectomia em uso de fralda contínuo sem qualquer controle urinário. Neste interregno conseguiu agendar uma consulta no Conjunto Hospitalar do Mandaqui em São Paulo . Após análise do quadro clínico da autora e após a realização de exames solicitados, submeteu a mesma a intervenção cirúrgica de correção de fístula vesico-vaginal. Destaca-se Excelência, que após o referido procedimento a autora evoluiu com alta médica, apresentando a reversão do quadro de extravasamento involuntário de urina.

Os comentários estão desativados para esta matéria.