Política Comentários

Presidente da Assembleia paulista repassou R$ 266 mil a posto do qual é sócio

Março 01 / 2019

Presidente da Assembléia contou com apoiadores políticos em Fernandópolis, na região de Rio Preto

O presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), Cauê Macris (PSDB), (foto) repassou R$ 266 mil de sua campanha a deputado estadual em 2018 para o posto de gasolina do qual é sócio, na cidade de Limeira, no interior paulista. Ao todo, o tucano recebeu R$ 751,3 mil na eleição, sendo que R$ 195 mil foram do fundo eleitoral, que é constituído por dinheiro público.
Extratos bancários anexados à prestação de contas de Cauê no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mostram que 235 cheques emitidos pela campanha do deputado estadual por meio de duas contas eleitorais abertas no Banco do Brasil foram compensados pela empresa Posto União de Limeira Ltda., na conta que ela possui em uma agência do Bradesco em Americana. Esta é a cidade onde o tucano iniciou a carreira política e concentra seu reduto eleitoral.
A empresa foi aberta por Cauê e pelo empresário Thiago de Freitas Akim em setembro de 2012 e opera um posto de combustível que fica no km 134 da Rodovia Anhanguera, em Limeira, vizinha de Americana, na região de Campinas. Em sua declaração de bens enviada à Justiça Eleitoral, o deputado declara ter 50% da sociedade, o que equivale a R$ 125 mil em quotas.
Apesar de o valor recebido ser o maior gasto da campanha do parlamentar tucano, a empresa não aparece na relação de fornecedores declarada ao TSE. A líder do ranking informado pelo deputado é a gráfica Formulários Covolan Ltda., que recebeu R$ 150,9 mil pela impressão de adesivos, informativos e santinhos. Na lista aparecem apenas dois postos de gasolina, que receberam, juntos, R$ 5 mil da campanha do candidato.
Em nota, o parlamentar atestou  que usou a própria empresa para “facilitar o pagamento dos cabos eleitorais” que trabalharam na campanha no interior e ressaltou que a prestação de contas foi aprovada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE).  Segundo os extratos bancários registrados no TSE, 84 cheques emitidos pela campanha de Cauê foram compensados em um único dia pela empresa dele: 28 de setembro de 2018. Os papéis somam R$ 120,5 mil. A transação ocorreu um dia depois de a campanha receber R$ 170 mil do fundo eleitoral do PSDB por meio de uma transferência bancária feita pela campanha do deputado federal Vanderlei Macris (PSDB), pai do presidente da Alesp.
Outra leva de cheques da campanha foi compensada pela empresa do parlamentar em outras quatro datas, entre 1.º e 19 de outubro. Os valores variam de R$ 300 a R$ 5 mil. No mesmo endereço do posto de gasolina, em Limeira, funciona uma empresa de administração de imóveis aberta em maio do ano passado pelo deputado e pela mulher dele. O tucano ainda é sócio de uma churrascaria na região. 

Os comentários estão desativados para esta matéria.