Esportes Comentários

Clubes da Série A vão perder R$230 milhões este ano

Maio 05 / 2019

Com isso, os clubes perdem uma receita que poderia chegar a R$230 milhões, que seriam divididos de forma igualitária entre todos os 20 da série A.

A concorrência pelos direitos internacionais de transmissão do Brasileirão 2019 iniciou há cerca de um ano. O primeiro acordo, com a BR Foot, fracassou após o não pagamento da primeira parcela. Agora, o segundo contrato também foi por água abaixo.
Houve uma reunião com o presidente da CBF, Rogério Caboclo, e os representantes dos clubes da série A. O mandatário da Confederação Brasileira iniciou as conversas recomendando que as negociações com a Sport Promotion fossem encerradas devido ao pedido de inclusão da exploração de apostas. Porém, isso aconteceria sem pagar nada a mais. Os clubes, então, prontamente recusaram e concordaram com o encerramento.
A Prudent havia enviado uma carta à CBF e para a Ernst&Young reclamando da falta de isonomia. Segundo a Prudent, a concorrência foi perdida pois a Sport Promotion aceitou o contrato proposto sem objeções. Vale lembrar que a oferta da Prudent chegava na casa de U$$800 milhões com a inclusão de games e publicidade virtual.
“E depois, o que é gravíssimo, a concorrente (que havia ameaçado se houvesse alteração de escopo), ela própria, condiciona a assinatura à ampliação do escopo, como foi veiculado na mídia. Para pedir a ampliação de escopo, Prudent ofereceu US$ 200 milhões a mais. Agora a concorrente quer ampliação do escopo sem aumentar em nenhum centavo a proposta apresentada. Se, depois de tudo isso, ampliarem o escopo para beneficiar o concorrente, o Prudent gostaria de pedir para apresentar nova proposta com o escopo ampliado”, diz a carta divulgada pelo UOL.
Ainda não há previsão para uma nova concorrência, porém, mesmo que houvesse, os direitos internacionais de 2019 já estariam perdidos. Com isso, os clubes perdem uma receita que poderia chegar a R$230 milhões, que seriam divididos de forma igualitária entre todos os 20 da série A.

Os comentários estão desativados para esta matéria.